Melismas Melisma Drive Voz Rasgada Vibrato

Efeitos e recursos vocais! Como deixar suas performances sempre melhores?

Sabe aquelas apresentações que te tiram o fôlego e logo você pensa: “Eu quero cantar ASSIM”! Pois é. Elas possivelmente estão cheias de efeitos e recursos vocais.

Os efeitos e recursos que estou falando aqui não são tecnológicos (apesar de eles também serem válidos, ok?). Mas o que estamos falando aqui são “artifícios” escolhidos por cada artista para dar um algo a mais nas suas apresentações.

Neste post vamos listar os seguintes efeitos e recursos para você incluir como seus “truques na manga” e impressionar ainda mais sua platéia:

#1) Vibrato

O vibrato se caracteriza por uma oscilação de frequência na voz que confere uma espécie de “balanço”.

O vibrato pode ser usado em todos os estilos musicais, mas é fato que alguns como o Rock, o Blues e o Folk, por exemplo, usam muito pouco deste recurso.

Em notas longas, o vibrato muitas vezes dá a sensação de relaxamento e até mesmo de domínio vocal.

É bom dizer que as características de som do vibrato não estão presentes apenas na voz, mas também em diversos outros instrumentos musicais. No blues, apesar de os cantores não usarem de muito (ou quase nada) de vibrato na voz, nas guitarras este efeito é muito bem visto.

Confira a seguir algumas dicas sobre como você pode conseguir treinar seus vibratos.

#2) Drives

Os drives na voz conferem um aspecto de voz rasgada. Normalmente são usados para expressar sensações mais agressivas e são muito encontrados em estilos como o Rock e o Blues.

No entanto, cantores de diversos estilos, até de música romântica, fazem uso deste efeito/recurso vocal para conferir mais textura às suas vozes.

Os drives alteram o padrão de emissão tida por muitos como emissão “normal” pois podem operar de duas maneiras:

  1. Ou alteram o padrão vibratório das pregas vocais;
  2. ou somam à emissão a participação de estruturas supraglóticas (acima da glote, acima das pregas vocais).

É verdade, também, que as duas condições citadas acima podem ocorrer simultaneamente, apesar de ser uma condição e sonoridade mais raras.

Os drives demandam muito cuidado na execução e treinar o equilíbrio de fechamento, fluxo de ar e tensionamento das pregas vocais na voz limpa é fundamental para conseguirmos drives mais saudáveis.

Confira algumas dicas sobre como começar a treinar seus Drives na voz hoje mesmo!

#3) Melismas

Os melismas são queridinhos de concursos de canto, reality-shows e estão muito presentes na música pop, gospel, soul e RnB, estilos que predominam hoje em mais de 80% do mercado musical mundial.

Melismas são fraseados musicais cantados, geralmente, em uma única sílaba, mas também podem ser cantados em duas ou mais.

Esses fraseados são feitos em escalas e nos fazem encarar a voz como um instrumento mesmo, uma vez que estamos praticamente “solando” por um tempo.

Em inglês, melismas são conhecidos Riffs and Runs justamente por fazer uso de riffs, termo muito conhecido entre instrumentistas para designar um tipo de fraseado melódico.

A ideia dos melismas é apresentarem não só padrões melódicos diferenciados, mas também velocidades consideráveis de execução.

Muitas vezes é por causa dessa velocidade que muitos cantores e cantoras acabam desistindo de treinar melismas.

Mas seguem dois vídeos com dicas infalíveis para você começar a correr hoje mesmo com seus fraseados melódicos e começar agora a fazer melismas.

Neste vídeo uma dica de um software FREE pra facilitar sua vida na hora de treinar melismas.

 

E você? Está usando de algum destes efeitos e recursos vocais? Se não, o que está esperando?

E não esqueça de comentar a respeito da sua experiência com o uso de efeitos e recursos vocais. Você usa algum outro que não listei por aqui?

Tem alguma dúvida sobre como usar ou treinar? Escreva ali em baixo na área de comentários e farei o possível pra responder, ok?

De resto, muito obrigado por estar aqui no blog do Full Voice Studios com a gente.

Agora vamos estudar?

Um abração!

Fernando

#solteavoz

Share This