Os 4P´s do canto e da técnica vocal: Prática, Paciência, Perseverança e Prazer

Cantar bem é muito mais do que repetir notas escritas em uma partitura ou imitar a voz de algum ídolo. Cantar bem é o ato que une técnica vocal à expressão artística. Cantar bem deve ser uma expressão criativa completa.

Cantar não é fácil. Cantar em um nível profissional exige tempo, dedicação, investimento, disciplina e um grande controle emocional. Por isso, reuni neste texto quatro elementos que considero fundamentais para a formação de um cantor e para a construção de sua identidade vocal e artística.

Prática

Se você é do tipo que acredita que cantar é um dom nato, que apenas pessoas que nasceram com talento podem cantar e/ou desenvolver sua voz, apresente-me um bom cantor que tenha conseguido uma carreira sólida sem prática. Eu não conheço ninguém.

Alguns estudiosos afirmam que são necessárias dez mil horas de prática para sermos especialistas em uma área. Independente do número de horas necessárias para a formação de um bom cantor, a única forma de descobrirmos e desenvolvermos habilidades é realmente praticando.

A prática para o cantor pode ser pensada de duas maneiras: prática de estudos e prática de performances. Prática de estudos envolve estudos (formais ou não) em técnica vocal, harmonia vocal, música (teoria musical, domínio de um instrumento), técnicas de performance e comunicação, etc. Já a prática de performances contribui para o cantor efetivar o seu aprendizado técnico e teórico e aprender a lidar com suas emoções e com a exposição de sua voz e imagem.

A prática de estudos deve envolver investimento. É importante que o cantor perceba onde estão suas debilidades e procure orientação profissional. Por exemplo: se você não tem um bom domínio técnico da sua voz, procure um voice coach. Ou, se você possui um bom domínio vocal mas não se sente a vontade nos palcos, é timido(a) e ansioso(a), aulas de teatro podem ajudar.

Na verdade, é a prática correta que nos leva ao desenvolvimento de nossas habilidades. Investir em orientação profissional pode economizar muito tempo e, por incrível que pareça, dinheiro.

Paciência

A maioria dos cantores é impaciente, angustiada e ansiosa. Mas paciência é fundamental para que o tempo dedicado à prática mostre resultados.

É importante entender que o processo de desenvolvimento técnico vocal envolve uma boa dose de paciência. Especialmente quando temos “maus hábitos” vocais, esse processo pode ser bastante gradual, pois é preciso reorganizar nossos comandos musculares para novas ações e sensações.

É comum em alguns momentos termos um “insight” sobre o controle da nossa voz (principalmente quando orientados por um bom voice coach). No entanto, também é comum sentirmos às vezes que estamos estagnados ou regredindo. Mas, com práticas corretas e paciência, logo percebemos que enquanto damos um passo para trás, andamos dois para frente.

Perseverança

Muitas pessoas já me perguntaram se qualquer um pode aprender a cantar em um nível profissional ou próximo disso. No início, minha resposta era sempre sim. Hoje, a resposta é não. Cantar, definitivamente, não é para qualquer um.

Primeiro, cantar envolve prática. E essa prática envolve paciência. E esses dois elementos envolvem perseverança. Por exemplo: não é de primeira que uma música que você cantou sairá perfeita. Mas, a perseverança lhe dará paciência para praticar até o nível que você considera muito bom.

Além de dificuldades técnicas, cantores precisam lidar com suas emoções e com a exposição (e julgamentos) de sua voz e imagem. Não é raro encontrarmos cantores que passaram por momentos de frustração extrema. É nesse momento que o perseverante se destaca, pois terá que aprender com as situações ruins para ganhar mais força e continuar a sua trajetória.

Prazer

Quando eu comecei a cantar, não queria impressionar ninguém, fazia isso por pura diversão. Era muito bom fazer aulas de canto, ensaiar com minha banda e cantar em shows cheios de amigos.

Depois de um tempo, resolvi assumir uma série de responsabilidades enquanto cantora e parei de me divertir. Eu achava que não podia mais errar e participava de bandas em que eu não podia escolher o repertório que iria cantar. Isso me deixava muito triste. Por mais que eu tivesse um bom domínio das minhas habilidades vocais, chegou um momento em que a técnica não foi mais suficiente para esconder minha frustração. Eu não tinha a menor vontade de ouvir as músicas que tinha que tirar ou fazer shows.

Por experiência própria, acredito que prazer é o elemento mais importante de todos. Pois é quando nos sentimos felizes que conseguimos determinar um propósito que nos leva a ter perseverança, paciência e vontade para praticar.

Você precisa se divertir enquanto canta para as outras pessoas. Divirta-se treinando nas aulas, no chuveiro, em karaokês do YouTube, sozinho(a) em casa. Divirta-se fazendo shows (mesmo que seja só para você na frente do espelho).

 

Para finalizar, uma dica: enquanto você desenvolve a sua voz, aproveite o que você já construiu/desenvolveu e não fique frustrado com o que você ainda não domina. O processo de aprendizagem é constante e gradual. Com Prática, Paciência, Perseverança e Prazer, aos poucos, conseguimos grandes resultados.

#solteavoz

 

  • Lucas Franco

    Que texto maravilhoso, muito claro e objetivo, parabéns Luiza Lobo por seu talento de cantar e principalmente de ensinar, através de suas palavras e aulas juntamente com o Fernando Zimmerman na plataforma solte a voz estou desenvolvendo minha voz e tendo uma esperança em ser um bom cantor.

Share This