“Será que estou praticando certo”? “Eu não sei como estudar minha voz em casa”. “Parece que só consigo fazer as coisas durante a aula”. “Quanto tempo devo praticar por dia”?

Me acompanhe neste post aqui do Blog Full Voice que quero ajudar você com questões como essas.

Frases e perguntas assim são super comuns de se ouvir por um professor de canto.

Mas eu posso assegurar pra você que elas não são só comuns pra mim apenas como professor.

Elas fizeram (e ainda fazem) parte da minha vida como cantor e estudante de canto e técnica vocal.

Fernando Zimmermann cantando.
Sim, eu já fui cabeludo. Uma “diva” do Rock!

 

Como obter o máximo das minhas práticas? Como conseguir deixar minha técnica mais “automática” para que eu possa me focar na minha performance como um todo?

Como conseguir tudo isso e ainda ter avanços técnicos significativos?

Eu confesso que sempre tive uma maneira muito minha de me organizar nos meus estudos vocais, mas posso dizer que, no final, mais acertei do que errei.

Falo isso pois consegui resultados que eu mesmo não esperava.

E hoje, com tudo que venho estudando sobre o ensino e o aprendizado, consigo entender onde eu acertei e onde errei.

Para além disso, consigo trazer aqui pra você Os 8 Aspectos de Uma Prática Vocal de Resultados!

Esses aspectos são úteis independentemente do seu nível e estilo que você canta. Vamos a eles!

 

Aspecto 1 – Motivação

Muito tem se falado por aí sobre motivação ser “o Motivo para a Ação”.

Eu não sei quem começou a falar isso, mas o fato é que essa pessoa criou uma compreensão bacana ao redor dessa palavra tão usada hoje em dia.

Quando você tem um motivo, tudo fica mais alcançável.

Sabe aquela coisa que você quis tanto que acabou dando um jeito de conseguir?

Você tinha um motivo e AGIU para que ele acontecesse.

No canto não é diferente. Responda a seguinte pergunta:

“Por que você está praticando/estudando canto e técnica vocal”?

Não importa qual o seu motivo, desde que ele seja verdadeiro.

No meu caso eu sempre fiquei muito frustrado por não conseguir cantar algumas das músicas que eu mais gostava.

Meu motivo era subir num palco e cantar com confiança aqueles sons que eu sempre curti.

E você? Qual o seu motivo? Qual a razão de você querer cantar a plenos pulmões?

 

Aspecto 2 – Organização

Não que eu seja a melhor pessoa em organização (bem longe disso, na verdade), mas eu sempre consegui um espaço na minha agenda para o estudo.

Eu realmente preciso anotar as coisas num calendário para não me perder.

Como eu queria muito dar jeito em várias coisas na minha voz, eu acabei separando espaços específicos na minha agenda para estudar.

E a verdade é que dificilmente você vai se comprometer se isso não estiver anotado na sua agenda.

Se você tem o seu motivo, não espere nem terminar de ler esse texto.

Se você ainda não possui os compromissos para seus estudos anotados, coloque-os agora mesmo no seu calendário.

Além disso, separe um tempo para os diversos aspectos envolvidos no canto que vão para além da técnica vocal.

Você também sempre terá uma parte musical que deverá estar presente.

Considere incluir nos seus estudos questões como:

  • Percepção e Afinação;
  • Harmonia;
  • Criação Musical/Composição;
  • Improvisação;
  • Repertório.

 

Aspecto 3 – Objetivo Claro

Aqui devemos ser mais específicos que na definição do nosso motivo.

O objetivo claro normalmente está ligado a alguma dificuldade bem específica e pontual.

Podem entrar na definição desse objetivo questões como:

  • atingir de maneira fácil uma nota que você precisa;
  • sustentar sua emissão vocal por 15 segundos sem gastar ar residual;
  • suavizar a transição entre voz de peito e voz de cabeça;
  • entre outros.

O importante é que você inicie a sua prática com algo muito preciso e específico na sua cabeça.

Isso lhe ajudará a manter o 4º aspecto, que é justamente o…

 

Aspecto 4 – Foco

Nesse aspecto eu não era tão consistente.

Eu tinha minhas práticas bem focadas, mas vez ou outra me flagrava vocalizando enquanto fazia outras coisas.

Acontece que os estudos que mais me trouxeram resultados foram justamente aqueles aos quais eu dediquei maior foco e atenção.

A atenção é componente chave para o aprendizado.

Durante nossos estudos vocais não estamos apenas exercitando músculos, mas também re-educando nossas vozes, mostrando-lhes novas coordenações e comportamentos.

Prestar atenção (de verdade) ao que está acontecendo e à maneira como estamos percebendo nossas vozes é crucial para que tenhamos resultados mais duradouros.

 

Aspecto 5 – Rotina Definida

Mas de nada adianta ter motivação, organização, objetivo e foco se você não possui um plano a seguir.

Quando falo rotina definida eu quero dizer a sua rotina de treino.

E me refiro a treino no singular mesmo, pois cada rotina trará exercícios diferentes.

Eles estarão diretamente ligados à definição do seu objetivo vocal do momento.

Quais exercícios vocais você pode incluir na sua rotina para lhe ajudar a atingir seus objetivos?

Nesse caso eu sempre recomendo que você consulte um(a) Voice Coach especializado(a) em voz cantada.

Esse(a) profissional vai saber guiar você por exercícios que poderão integrar facilmente sua rotina vocal infalível.

Além disso, quando o assunto é tempo de prática, um(a) Voice Coach poderá lhe dizer quanto tempo você dedicará para cada exercício ou rotina.

Mas já adianto que você não precisa pegar pesado na execução de exercícios vocais que trabalham sua técnica.

Se você tiver disponível 15 minutos por dia, já está bom. Se tiver de 30 a 40 minutos, melhor ainda.

 

Aspecto 6 – Repetições Inteligentes

Você já deve ter percebido que estudos musicais e vocais demandam a repetição de uma série de exercícios ou até mesmo de trechos de músicas.

Eu mesmo já fiquei algumas boas horas estudando uma única música para conseguir resolver cada pedaço que eu tinha dificuldade.

Não recomendo que você fique horas em cima de uma mesma coisa, por isso eu quero trazer aqui esse conceito de repetições inteligentes.

Você vai precisar repetir vocalizes e passagens musicais. Isso é fato.

Mas para fazer isso de maneira inteligente, coloque sua cabeça pra funcionar fazendo as seguintes perguntas enquanto você pratica:

  • Estou sentindo algo diferente durante a minha emissão?
  • Como é fazer isso?
  • Sinto algum lugar do meu corpo?
  • Isso que estou fazendo soa de algum jeito particular?
  • Estou direcionando de alguma forma essa minha emissão? Esse direcionamento está me ajudando ou atrapalhando?

Cantores, de maneira geral, sempre tem as suas próprias “âncoras” para lembrarem como acessar uma determinada coordenação vocal.

Uns criam imagens, outros se guiam pela sensação e por aí vai.

Quais as “âncoras” que você criará para sua prática ser mais eficaz e suas repetições realmente trazerem o resultado que você espera?

Qualquer entendimento mais racional sobre o seu canto pode se tornar uma boa âncora.

Repetir vocalizes e trechos musicais sem uma consciência maior a respeito do que está sendo feito pode ser até mesmo frustrante, pois não trará resultados efetivos.

Quando alguma coisa der errado, pergunte-se o que aconteceu e volte a repetir, mas de maneira diferente e inteligente.

 

Aspecto 7 – Assuma a Responsabilidade pela Sua Evolução

No final das contas quando você assume a responsabilidade verdadeira do seu progresso, isso muda o jogo a seu favor.

O que eu quero dizer com isso? Vamos lá.

Você frequenta suas aulas de canto, assiste vídeos na Internet, lê livros e até mesmo posts como esse.

Hoje em dia qualquer cantor ou cantora está muito mais bem amparado do que na época que eu comecei meus estudos.

Isso é ótimo mas pode trazer uma certa acomodação com relação à própria evolução vocal e artística.

Normalmente o seu encontro com um professor ou professora de canto acontece uma vez por semana.

Nesse encontro você recebe uma série de exercícios que visam ajudar você a descobrir novas possibilidades vocais.

Mas e depois da aula?

Eu costumo dizer que o aluno que entrou nunca é o mesmo que saiu da minha sala de aula. Por que? Pois ao final de cada aula sempre encontramos elementos novos.

Esses elementos podem mudar muito a maneira como você perceberá sua voz durante os exercícios.

Assim, quando você chegar em casa para praticar, as chances são de que muita coisa aconteça diferentemente da aula.

E agora? Como seguir?

Vou deixar algumas dicas bem pontuais aqui para facilitar sua vida quando o assunto é assumir a responsabilidade pela sua própria evolução.

  1. Busque compreender todo o processo: muito além de simplesmente executar os exercícios, busque o entendimento do por quê ele está sendo feito, como ele se encaixa no seu momento e nas suas necessidades como um todo;
  2. Selecione os seus exercícios favoritos: não se trata simplesmente de escolher os que você mais gosta, mas sim aqueles que mais lhe dão resultados. Ao longo da sua prática você perceberá quais são. Anote-os em algum lugar junto com suas percepções do por quê você os escolheu;
  3. Busque entender detalhes sobre a emissão vocal: não estou dizendo aqui para você se tornar expert em anatomofisiologia vocal. Mas um pouco de compreensão sobre como seu instrumento funciona vai ajudar bastante. Isso pode ser útil, dentre tantas outras razões, para ajudar você a aceitar uma série de novas coordenações e sensações;
  4. Alimente sua curiosidade: posso garantir pra você que os alunos e alunas que mais dão resultado são aqueles que correm atrás de bons cantores referências, boas leituras e sempre trazem questões tanto para as aulas quanto para suas próprias práticas.

 

Aspecto 8 – Seja Paciente

Uma grande voz não surge do dia pra noite.

Nenhum grande instrumentista se forma do dia pra noite, na verdade.

Se você for tentar começar a tocar piano do absoluto zero, você levará uns 3 meses (pelo menos) para tocar alguma coisa com desenvoltura.

Você acha que na voz é diferente?

Não estou dizendo aqui que você não cantará. Não é isso.

Mas somente depois de um tempo a assimilação de novas coordenações começa a se tornar mais natural e automática.

Se você tentar pular etapas para burlar esse tempo de desenvolvimento vocal, pode ser que você sabote resultados extraordinários.

 

Recado Final

Estudar canto e técnica vocal é uma atividade bem desafiadora e exigente.

Na verdade qualquer atividade que se queira desempenhar com uma certa maestria vai trazer inúmeros desafios.

Por isso, quanto melhor estruturados estiverem os seus estudos, melhores os resultados.

Procure seguir as dicas desse post e depois conta pra mim aqui nos comentários:

O que você incluiu/incluirá nas suas práticas vocais que lhe trouxe mais resultados para o seu canto?

Quero saber mais, ok? Conto com seu comentário.

Bons estudos e #solteavoz!

Fernando Zimmermann

Co-fundador do Full Voice Studios e Voice Coach de cantores do Brasil e do mundo, Fernando ajuda cantores e cantoras de todos os estilos a desenvolverem não apenas o máximo potencial vocal, mas também a plenitude artística e pessoal.
>