Power Voice Vocal Potência

3 Princípios que Farão Você Entender O Que é POTÊNCIA VOCAL

A maioria dos cantores e estudantes de canto busca uma emissão vocal com volume, pesada e potente. Mas o problema disso são as inconsistências sobre como executar essa emissão.

É bem comum encontrarmos cantores que confundem potência com força, seja de forma consciente ou inconsciente. Isso pode resultar em descontrole vocal, problemas nas regiões de passagem, falta de controle no volume e dinâmica da música, timbre desajustado e, até mesmo, lesões nas pregas vocais.

É importante pensarmos que, antes de colocar volume e potência, nossa emissão precisa estar fácil e equilibrada.

Imagine uma pessoa muito sedentária que resolve sair para correr 10km em uma manhã. Ela pode tentar, mas não vai ter êxito pois estabeleceu uma meta fora do nível de condicionamento de seu corpo.

O mesmo acontece com a nossa voz, quando não temos o condicionamento necessário para uma emissão fácil e equilibrada e tentamos colocar força em uma coordenação que ainda não temos.

Por isso, antes forçar a sua voz, entenda como podemos ganhar potência vocal de forma saudável através dos 3 princípios que apresento a seguir.

Equilíbrio Entre Fluxo de Ar e Musculatura das Pregas Vocais

O equilíbrio entre ar e musculatura das pregas vocais vai determinar boa parte do volume da sua emissão e, consequentemente, da potência da sua voz.

Com as pregas vocais aduzidas, o ar passa por elas promovendo sua vibração. A figura a seguir mostra a chegada do ar ao nível das pregas vocais aduzidas (1), na sequência (2 e 3), o ar passa pelas pregas vocais promovendo atrito, convertendo energia mecânica em energia acústica. Em (4) as pregas vocais voltam a se fechar, iniciando um novo ciclo.

vocal3_lowres vocal4_lowres

Durante esse processo, as pregas vocais precisam oferecer boa resistência ao ar com uma determinada tensão, porém, sem rigidez em excesso.

É comum pensarmos em mandar mais ar para ganharmos mais som e potência. Porém, com ar em excesso, as pregas vocais podem não aduzir corretamente. O contrário também gera um resultado ruim, pois pouco ar ocasiona desequilíbrio nessa resistência que as pregas vocais precisam oferecer.  

Então, o que devemos fazer? Primeiro, procurar um som controlado sem a necessidade inicial de volume e potência, principalmente nas regiões de passagem.

Na metodologia Full Voice, incentivamos a emissão fácil, firme e forte. E a busca pelos resultados precisa ser nessa ordem pois se você conseguir uma excelente coordenação entre os músculos das pregas vocais e o fluxo de ar, já irá ganhar volume e potência na sua voz.

Confira neste vídeo uma sacada do Fernando sobre o esquema fácil, firme e forte.

 

 

E agora veja aqui uma dica bem legal que postei no nosso canal do YouTube sobre Potência Vocal.

 

 

Shape Adequado

O shape diz respeito ao formato do seu trato vocal. Muitos cantores ignoram esse aspecto quando falamos em potência vocal, mas o shape é o filtro que vai amplificar a nossa voz. Podemos e devemos ajustá-lo a nosso favor.

Quando emitimos uma nota, ondas compostas de todos os múltiplos inteiros da frequência fundamental dessa nota são emitidas também. Esse conjunto de ondas é o que chamamos de série harmônica.

O shape é o filtro acústico desses harmônicos que são produzidos pelas pregas vocais. A forma como ajustamos o shape nos possibilita amplificar mais ou menos harmônicos, alterando volume e timbre.

Dessa forma, pequenos ajustes no shape podem resultar em um timbre com sonoridade mais cheia, consistente e potente. Esses ajustes, no entanto, devem ser feitos primeiramente pensando na facilidade da emissão e não na “força” do som.

Energia na Emissão Sem Tensões Físicas

É muito comum vermos cantores com expressões faciais e corporais tensas ao tentar cantar com potência. Nosso corpo esta todo conectado e tensões corporais em demasia podem gerar tensões na musculatura das pregas vocais e atrapalhar a boa emissão.

Isso não significa que devemos cantar sem energia. Tanto a sua emissão quanto a sua performance precisam de energia para cativar o público, independente da “potência” que você quer mostrar com a sua voz. Porém essa energia não é a mesma coisa que tensão muscular e força.

Verifique se, para cantar, você costuma

  1. contrair a face de forma exagerada;
  2. esticar ou levantar o pescoço;
  3. tensionar em excesso ombros e musculatura abdominal.

Às vezes não conseguimos notar essas tensões. Então, uma dica é gravar em vídeo a sua performance e verificar esses aspectos.

Não confunda tensões corporais desnecessárias com energia e a tensão necessária que precisa existir nas pregas vocais durante a emissão.

O Fernando explica essa questão do esforço neste vídeo a seguir.

 

CONCLUSÃO

Equilíbrio entre fluxo de ar e pregas vocais, shape adequado e energia na emissão: você não precisa pensar em conseguir potência vocal se estiver com esses três princípios em mente.

Por isso, se você acha que sua voz não tem potência, verifique se não está cantando de maneira soprosa demais, forçada demais ou sem energia. Tente ajustar primeiro sua emissão, busque facilidade na conexão de graves e agudos, para depois pensar em aumentar volume e deixar o som mais forte.

Lembre sempre que potência vocal não é “sofrência” nem força, mas sim o resultado de uma emissão natural e equilibrada.

AH! E não se esqueça de comentar ali em baixo o que achou deste artigo e como ele ajudou você a entender melhor esse assunto que é um tabu para muitos cantores. Não esqueça também de compartilhar com seus amigos e amigas cantores.

#solteavoz

  • Loisilene Souza

    Nossa, muito bom!!

Share This